tosse crônica

Tosse crônica: o que é e quais são as causas?

A tosse é um importante mecanismo de defesa do nosso sistema respiratório para a remoção de germes, secreção, alimentos e qualquer corpo estranho que bloqueie ou irrite as vias aéreas. É também um sintoma de diversas doenças, como gripe, alergias, inflamações, ou algo mais grave, como tuberculose ou câncer de pulmão.

O tipo e a duração da tosse e os sintomas associados a ela (catarro, chiado, febre, muco com sangue, etc.) trazem indicativos sobre as possíveis causas do quadro e devem ser comunicados ao médico para uma avaliação mais detalhada, principalmente quando a situação perdura por tempo superior a 8 semanas, o que já é classificado como tosse crônica.

Esse quadro pode acontecer em função do tabagismo e normalmente vem acompanhado de secreção escura. Parar de fumar pode ajudar a reduzir o problema, em um longo prazo, para fumantes recentes. Para quem faz o uso do cigarro há muitos anos e já tem comprometimento do sistema respiratório,  as chances da tosse cessar completamente são mais remotas.

As principais doenças associadas ao tipo de tosse aqui analisado são refluxo gastroesofágico, síndrome da tosse das vias respiratórias altas e asma.

Refluxo gastroesofágico

Cerca de 1/3 dos casos de tosse crônica está relacionado à doença citada acima, a qual afeta, na verdade, o aparelho digestivo. Trata-se do retorno involuntário e recorrente de alimentos pelo esôfago, que tem o tecido irritado pelos ácidos responsáveis pela digestão. Isso pode acontecer por hérnia de hiato, fragilidade da musculatura abdominal ou por falhas do esfíncter, válvula que impede o retorno dos alimentos após chegarem ao estômago.

Além da tosse de aspecto seco, o refluxo provoca azia ou queimação na boca do estômago e na garganta, dor torácica e pode vir acompanhado de doenças pulmonares, como pneumonia, bronquite ou asma.

Síndrome da tosse das vias respiratórias altas

Conhecida no passado como síndrome do gotejamento pós-nasal, essa síndrome pode ter origem na rinite (alérgica, não alérgica e vasomotora), no resfriado ou na sinusite. Pode ser assintomática, mas normalmente é caracterizada por escorrimento de muco nasal, sensação de secreção na faringe e pigarro.

Asma

É uma inflamação nas vias aéreas que acomete cerca de 235 milhões de pessoas no mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). O paciente com asma normalmente tem os brônquios sensíveis a algum agente como ácaro, poeira, pólen, mofo, pelos de animais, fumaça, produtos de limpeza, dentre outros, e o organismo reage no intuito de fechar os brônquios para impedir que o ar contaminado chegue aos pulmões. A tosse funciona como um mecanismo para expulsar esses agentes danosos. Ela pode ter a produção de muco. Algumas vezes a dificuldade de respirar também pode ser desencadeada ou aumentar com a realização de atividade física.

A asma é classificada por níveis de gravidade que vão desde o grau 1, tipificado por sintomas leves e intermitentes de até 2 dias por semana ou 2 noites por mês, até o grau 4, que apresenta sintomas graves, persistentes durante o dia, por vários dias e frequentemente no período noturno.

Diagnóstico da tosse crônica

Além do exame clínico, alguns exames específicos podem auxiliar na descoberta das causas da tosse crônica, como raio x e tomografia do tórax, exame de sangue, pesquisa viral ou cultura da secreção traqueal, espirometria, endoscopia digestiva alta e ecocardiograma. O conjunto de sintomas e a avaliação médica vão definir os exames mais adequados para cada caso.

 

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder os seus comentários sobre esse assunto. Leia outros artigos e conheça mais do nosso trabalho como cirurgiões torácicos em Belo Horizonte!

Comentários

O que deseja encontrar?

Compartilhe