Vivendo com o Câncer de pulmão

Vivendo com o Câncer de Pulmão

Para alguns pacientes com câncer de pulmão, o tratamento pode remover ou destruir o câncer, mas chegar ao fim do tratamento pode ser estressante. Ao mesmo tempo em que o paciente se sente aliviado com o término do tratamento, fica a preocupação de uma recidiva ou metástase. Esse é um sentimento muito comum para a maioria dos pacientes com câncer de pulmão. E a pergunta que fica é: como é a vida de quem está vivendo com o câncer de pulmão?

Câncer de pulmão e seus tratamentos

Na maioria das vezes decorrente do tabagismo, o câncer, ou neoplasia maligna do pulmão, é um tipo de tumor que se caracteriza pelo rompimento dos mecanismos celulares naturais do pulmão em razão da proliferação das células malignas.

O tratamento para essa doença geralmente é realizado por meio de cirurgia, que pode ou não ser associada a outras opções de tratamento como quimioterapia e radioterapia. Cada caso deve ser avaliado por um médico competente para que receba o tratamento mais adequado. 

No caso da cirurgia, pode ser realizada a retirada de todo o pulmão ou parte dele. O que define qual será a estratégia seguida pelo médico são fatores como localização e tamanho do tumor, estado de saúde atual do paciente e qual opção trará maiores chances de sucesso. 

Vivendo com o câncer de pulmão

Aprender a viver com câncer é diferente de viver após o câncer. Em alguns casos, o tratamento pode ser bem-sucedido e resultar na remoção total do câncer. Em outros pacientes, o câncer pode não desaparecer completamente. Esses pacientes continuarão realizando tratamentos regulares com quimioterapia, radioterapia ou outras terapias para tentar manter a doença sob controle. 

Quando o tratamento terminar, os médicos irão acompanhá-lo de perto por alguns anos. Por isso é muito importante comparecer a todas as consultas de acompanhamento. Nessas consultas o médico sempre o examinará, conversará com você sobre qualquer sintoma que tenha apresentado, poderá pedir alguns exames de laboratório ou de imagem para acompanhamento e reestadiamento da doença.

Suas visitas ao médico são um bom momento para fazer perguntas e falar sobre quaisquer alterações ou problemas que você perceba ou preocupações que você possa apresentar.

Em pessoas sem sinais de câncer remanescente, muitos médicos recomendam visitas de acompanhamento e exames de tomografia computadorizada a cada 3 meses no primeiro  ano após o tratamento, a cada 6 meses nos 2 anos subsequentes e, em seguida, pelo menos anualmente  até 5 anos. Alguns médicos podem seguir diferentes esquemas de acompanhamento.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do nosso trabalho em cirurgia torácica em Belo Horizonte!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp