cirurgia robótica

4 coisas que você precisa saber sobre cirurgia robótica

Embora os robôs já tenham sido considerados parte de um futuro distante, o uso da robótica e de outras tecnologias avançadas, como a cirurgia robótica, já faz parte da vida cotidiana.

Quando se trata de cirurgia robótica, algumas pessoas podem considerá-la confusa ou intimidante, muito devido aos mitos que rondam o termo. Mas, na realidade, a cirurgia robótica é minimamente invasiva!

Realizada com um braço robótico, o cirurgião faz várias pequenas incisões e coloca portas para a passagem de uma câmera e instrumentos.

Quer entender melhor sobre esse assunto? Confira neste artigo!

Por que um robô para cirurgia? 

Desde a década de 2000, a cirurgia minimamente invasiva com o surgimento de um robô cirúrgico, auxiliar do cirurgião, surgiu e se impôs como uma necessidade de desenvolvimento.

Então, esse sistema robótico mais desenvolvido continua a se aprimorar para otimizar a destreza e a facilidade do cirurgião.

Durante uma intervenção, o robô, com braços articulados colocados acima do paciente, permite que o cirurgião opere remotamente, em um console também localizado na sala de cirurgia.

O robô então transcreve perfeitamente cada movimento das mãos do cirurgião do console para os braços equipados com garras articuladas e miniaturizadas.

Uma câmera binocular HD colocada em um dos braços permite que o operador seja guiado pela retransmissão de imagens tridimensionais.

Assim, o uso do robô requer treinamento avançado de todas as equipes cirúrgicas, sejam elas cirurgiões, enfermeiras, anestesistas e cuidadores.

Muitas especialidades podem se beneficiar desta cirurgia minimamente invasiva, como: ginecologia, cardiologia, otorrinolaringologia, cirurgia digestiva e bariátrica, cirurgia torácica, urologia e mais.

Esta revolução tecnológica está se tornando cada vez mais comum, apesar do custo ainda muito alto da máquina, sua manutenção e seus consumíveis.

4 vantagens da cirurgia robótica para conhecer

  1. Cirurgia menos invasiva: esta técnica reduz as aberturas e usa os orifícios para tratar uma patologia.
  2. Melhora na destreza: O robô oferece ao cirurgião gestos precisos, ausência de movimentos parasitários, controle inigualável na realização das operações. 
  3. Visão 3D e ampliada: O robô oferece uma visão perfeita do campo operacional, graças ao uso de câmeras que garantem uma visão 3D clara, nítida e ampliada de extrema estabilidade. O cirurgião pode facilmente ampliar as áreas mais delicadas e mover-se pelo local da cirurgia, se necessário.
  4. Multiplicação de gestos: a cirurgia robótica distingue-se pela presença de um efetor que permite reproduzir os gestos do cirurgião multiplicando-os. Portanto, se o cirurgião fizer um gesto de 10 cm, o robô só se moverá um centímetro.

Essas vantagens permitem que os cirurgiões realizem procedimentos mais complexos. Além disso, a cirurgia robótica geralmente resulta em um tempo de internação mais curto, menos dor pós-operatória e um retorno mais rápido às atividades do que a cirurgia aberta. Por outro lado, um mito comum é que o cirurgião realiza o procedimento em outra sala.

No entanto, o cirurgião ainda trabalha na sala, usando o console para controlar o robô está a poucos metros de distância do paciente. Ele conta com um auxiliar, membros da equipe de anestesia e uma enfermeira de destaque.

Os riscos desse tipo de cirurgia são semelhantes aos de qualquer outro tipo de cirurgia. Entretanto, uma abordagem robótica à cirurgia nem sempre é a melhor para o paciente. Se um caso não pode ser concluído com o robô, uma incisão aberta pode ser necessária.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do nosso trabalho em cirurgia torácica em Belo Horizonte!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp