Close-up asian woman with hyperhidrosis sweating. Young asia woman with sweat stain on her clothes against grey background. Healthcare concept.

Tudo que você precisa saber sobre hiperidrose

A hiperidrose pode ser definida como uma condição que faz com que a pessoa transpire de maneira desproporcional às suas necessidades fisiológicas para a regulação da temperatura corporal, ou seja, é quando o paciente começa a suar de maneira excessiva sem nenhum motivo razoável para isso.

Suar é um processo saudável e totalmente natural do nosso corpo e, normalmente, ocorre quando a nossa temperatura corporal ultrapassa os 37° C, seja por estar em um ambiente muito quente, praticar atividades que exijam esforço físico ou até mesmo em momentos de raiva, medo e nervosismo.

Esse processo é chamado de sudorese e é controlado e estimulado pelas glândulas sudoríparas. No entanto, quando a sudorese excessiva ocorre sem a presença de nenhum dos fatores citados anteriormente, temos um caso de hiperidrose.

Tipos e causas da hiperidrose

A hiperidrose pode ser classificada em dois tipos, que variam conforme a manifestação dos sintomas:

A primária, que geralmente se inicia na infância ou adolescência devido a uma predisposição genética e que, geralmente, o suor excessivo se concentra apenas nas mãos, pés e axilas.

Contudo, também há a possibilidade, mesmo que rara, desse suor acometer a região da face e do crânio.

O segundo tipo é classificado como difusa ou secundária. Aqui, o suor pode acometer todo o corpo ou em apenas uma parte específica e, diferentemente da primária, essa condição pode ser adquirida ao longo da vida adulta devido a alguns fatores externos, como:

  • Linfoma;
  • Diabetes;
  • Neoplasias;
  • Efeito colateral de medicamentos;
  • Menopausa;
  • Alterações hormonais;
  • Alcoolismo crônico;
  • Doenças febris;
  • Doenças cardíacas
  • Outras infecções.

Sintomas

Os sintomas dessa condição são bastantes restritos e, basicamente, envolvem sempre a transpiração inapropriada. Dentre os principais deles, podemos destacar:

  • Transpiração prolongada, excessiva e sem explicação;
  • Sudorese associada a perda de peso;
  • Sudorese acompanhada de dor ou pressão no peito;
  • Suor excessivo durante o sono;

Se você apresenta alguns desses sinais com certa frequência, é recomendado buscar ajuda médica para que o profissional possa analisar o seu caso e fazer um diagnóstico.

Existe tratamento?

Existem diversas opções de tratamento para esse problema na transpiração, que vão desde ao simples uso de desodorantes antitranspirantes mais potentes, até cirurgias.

Os fatores que vão definir a intervenção a ser tomada, são a intensidade dos sintomas, o local em que a transpiração excessiva ocorre e também as expectativas do paciente em relação ao problema.

Para os casos mais simples, normalmente o médico irá recomendar algum desodorante específico ou, se achar mais adequado, ele também poderá indicar produtos de uso típico e alguns medicamentos orais, como a  oxibutinina e o glicopirrolato, por exemplo.

Já para os casos de natureza mais grave, pode ser indicado aplicações de toxina botulínica, que é uma substância que atua bloqueando os nervos que estimulam o funcionamento das glândulas sudoríparas, causando, assim, uma diminuição temporária no volume de suor produzido no local da aplicação.

Por fim, caso nenhum desses métodos tenha eficácia contra a hiperidrose, um procedimento cirúrgico minimamente invasivo deverá ser feito.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do nosso trabalho em cirurgia torácica em Belo Horizonte!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp